quarta-feira, 16 de maio de 2012

Algumas reflexões sobre o uso de vídeos com objetivos didáticos

Texto relativo a Coleção:  O vídeo como estratégia para motivar e sensibilizar os alunos para o tema a ser explorado

Amélia Porto
Lízia Ramos

             O uso de vídeos em sala de aula pode ser um excelente recurso didático, mas é importante que se tenha muito claro o que se quer com a apresentação desse recurso e que função ele terá no desenvolvimento da aula.

             Os vídeos mesmo quando produzido com objetivos didáticos, não são uma aula, mas, sim, um recurso que você pode utilizar para explorar situações como as listadas a seguir.  

·        Motivar e sensibilizar os alunos para o assunto a ser estudado.

·        Levantar o conhecimento prévio.

·        Complementar as informações.

·        Visualizar um fenômeno difícil de ser observado no dia a dia.

·        Enriquecer o tema em estudo.

·        Fechar um estudo realizado.

             Independente da forma em que será usado é necessário que o aluno tenha clareza do que se deseja com o vídeo.

             Os vídeos comportam temas e conteúdos diversos. Entretanto, o professor nunca deve exibir um vídeo ao qual não tenha assistido, ainda que seja uma sugestão dos alunos. Sempre que for utilizar um vídeo, deve verificar, dentre outros aspectos, a adequação legal de idade, para se resguardar de acusações indesejadas.

             O professor, ao assistir aos vídeos, deve estudá-los e usá-los em momentos apropriados, pois eles servem de coleta de informações, de observação de experimentos, de entendimento da interação ambiental entre os seres vivos e outros fenômenos difíceis de observar no cotidiano.

             Para que se tenha a eficiência desejada, sugerimos as seguintes orientações:


·        Planejamento e preparação: refere-se ao planejamento de como explorar um vídeo já escolhido e à pesquisa de vídeos que possam ampliar o repertório do grupo ou que complemente conteúdos específicos do currículo com objetivos determinados, buscando possíveis temas para serem discutidos.

·        Apresentação e exibição: antes da exibição, é importante informar ao grupo apenas os dados referenciais dos vídeos. Pode-se incluir, também, curiosidades sem, contudo, atribuir juízo de valor. É importante justificar o uso do vídeo e estar atento às reações do grupo durante a exibição. Após a exibição, se julgar necessário, algumas cenas podem ser reprisadas para que o grupo reveja determinados aspectos antes não observados ou elementos gerais, como ações, diálogos, efeitos, expressões, sons, dentre outros.

·        Discussão e reflexão: inicialmente discutir com os alunos sobre o que viram e deixar que apresentem as observações deles. Após ouvir os relatos, pode-se esclarecer dúvidas, chamando-lhes a atenção para convergências e divergências apresentadas.

·        Conclusão e avaliação: uma síntese final poderá ser realizada retomando os objetivos da atividade e relacionando-os com o conteúdo desejado; podem ser sugeridas leituras complementares, outros vídeos que contenham assuntos semelhantes, sites de pesquisa ou desenvolver outras atividades.

Referências
MORAN, José Manuel. Vídeos são instrumentos de comunicação e de produção. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/videos.htm - Acesso em 14/05/2012.

PORTO, Amélia; RAMOS, Lízia; GOULART, Sheila. Um olhar comprometido com o ensino de ciências. Belo Horizonte: Editora FAPI, 2009.



Sugestões de leitura sobre o assunto


MARTINHO, Tânia; POMBO, Lúcia. Potencialidades das TIC no ensino das Ciências Naturais –um estudo de caso. Disponível em:
http://www.saum.uvigo.es/reec/volumenes/volumen8/ART8_Vol8_N2.pdf - Acesso em 14/05/2012.


POLATO, Amanda. Um guia sobre o uso de tecnologias em sala de aula. Disponível em:

http://revistaescola.abril.com.br/avulsas/223_materiacapa_abre.shtml - Acesso em 15/05/2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário